Faça uma busca em notícias

08/10/2020

Edição 100

O plano infalível e o repolho cru
Há algum tempo discutimos os limites da inovação. Já falamos sobre ela diversas vezes, inclusive pontuamos as diferenças entre inovação disruptiva, radical e incremental; recentemente apontamos a nova regulamentação ISO com foco na inovação; e sempre buscamos mostrar como ela pode ser simples na prática. Mas esse tipo de reflexão segue proposto de diferentes formas. O termo passa longe das animações, mas está lá todas as vezes em que o herói ou heroína precisa pensar em outra solução para destruir o vilão. Vejamos dois exemplos nos desenhos infantis.
Sempre que o Cebolinha fracassa em um “plano infalível pala loubar o Sansão”, ele imagina uma nova abordagem, cria uma nova estratégia, planeja, coloca em prática e invariavelmente fracassa antes de começar tudo de novo. No mundo dos adultos, chamaríamos isso de inovação, apoiada em PDCA e em um forte senso de adaptabilidade e resiliência.
Só que nem sempre o que deve ser combatido está realmente aparente ou é tão dicotômico. Vicenzo é um cozinheiro frustrado em O Clube das Winx, pois os clientes não conseguem apreciar seus lindos pratos. Na tentativa de fazer uma refeição conceitual, moderna e digna do seu talento, o personagem se esquece das sensações e deixa de lado as opiniões dos clientes por não os considerar dignos de estabelecer críticas a um profissional do seu naipe. Vicenzo, inconscientemente, se afastou da sua essência e ocupou confortavelmente a posição de injustiçado. A atitude tem reflexo no produto que entrega: um incompreendido repolho cru servido com molho de café expresso. Uma inovação desalmada, sem propósito e sem método.
A inovação voltou à pauta porque essa é a nossa edição número 100 e ninguém consegue fazer manter um produto no mercado durante tanto tempo sem que passe por mudanças. Algumas vezes, as mudanças que ocorreram na revista foram vistas por nós como um plano infalível que precisou de adequações. E como estamos em uma empresa e não em um gibi ou um desenho, adaptamos para oferecer aos leitores o melhor resultado possível para cada período ao invés de um prato de repolho cru. Passamos por mudanças no projeto gráfico, adequações de padrão, criamos o site e reformulamos outros aspectos das matérias e anúncios, e agora você recebe uma revista nova cujos conteúdos podem ser expandidos para outras leituras e experiências através dos links nos QRCodes. Além disso, nossa matéria de capa conduz a um retrato de como passamos os últimos anos e que mudanças teremos daqui em diante.
A caminho do ambiente digital, lançamos o site onde você encontra todo o conteúdo do material impresso e mais matérias exclusivas, bem como os e-books que podem ser lidos de graça no KindleUnlimited. Esse processo talvez tenha doído um pouco menos do que uma coelhada da Mônica, mas podemos dizer que valeu muito a pena. E que venham as próximas inovações e as próximas 100!
Boa leitura